Vejo que a última vez que escrevi neste blog foi em fevereiro. Há outros blogs também, não sei quando foi a última vez que escrevi neles. Este é meu blog mais recente, criei pois estava descontente com o espaço dos outros, querendo um novo para escrever. Pode ser isso ou pode ser outra coisa.

ginger-baker-001

(Ginger Baker morreu ontem. Escrevi aqui.)

Não posso dizer que por não estar escrevendo aqui que deixei de escrever. Logo de cara, lembro que trabalho escrevendo. Traduzo 27 páginas por dia, espanhol/português. Sim ou não, é um trabalho que faz com que não tenha vontade de escrever após sair dele. Me cansa ficar sentado, na frente do computador, ruminando informação. Não quero chegar em casa e continuar a função. Procuro me distrair com outra coisa, óbvio. No trabalho tento rabiscar alguma coisa, mas não me sinto a vontade.

Eu de vez em quando escrevo nuns caderninhos, tem uns guardados, umas ideias soltas. Agora estou fazendo stickers. Traduzi um contrato freelancer ao espanhol. Traduzo uma peça de teatro. Quero fazer um fanzine até o verão. Quero escrever um texto para um outro zine novo. Escrevendo atualmente em um blog dum amigo.

Tento viver da escrita, é o que escolhi. Está me resolvendo os problemas. Tenho alguns, mas não os levo a sério. São necessários.

Anúncios

“Não havia muitos degraus. Eu os contara uma centena de vezes, tanto subindo quanto descendo, mas o número fugiu de minha cabeça. Eu nunca soube se você devia dizer um com o pé na calçada, dois com o outro pé no primeiro degrau e assim por diante, ou se a calçada não devia contar. No alto dos degraus eu me via diante do mesmo dilema. Na outra direção, digo de cima para baixo, era a mesma coisa, a palavra não é muito forte. Eu não sabia nem onde começar nem onde terminar, esta é a questão. Cheguei, portanto, a três números totalmente diferentes, sem nunca saber qual deles estava certo. E, quando eu digo que o número fugiu da minha cabeça, quero dizer que nenhum dos três números está mais comigo, em minha cabeça.” – Henry James, presente em Extraterritorial, de George Steiner.

A foto

Acho que foi em algum tumblr que encontrei essa foto, essa imagem. Eu gosto dela pelas expressões, são 35. As faces, os modos, as expressões, os gestos, a composição, as mãos também, dando todos os trejeitos. A posição dos olhos, dos lábios, as puxadas de testas, de bochechas, os queixos, o modo como a face se posta, se posiciona, se coloca para expressar, exprimir, para mostrar a reação, a feição, a amostragem. O quadro é de Honore Daumier, francês. Atuou cerca de 40 anos, até a morte.

Essa imagem reflete o que o blog quer, o que eu quis dizer e digo com o blog. A coisa, o fato de colocar qualquer coisa, de escrever qualquer coisa. É uma coisa que eu sempre quis, escrever qualquer coisa, sobre qualquer coisa, sem pressões. São minhas expressões e visões das coisas da vida e da imaginação que escrevo aqui. Criações e ações.

O fato de colocar qualquer coisa, disso, é o que já esteve presente n’O Palavreado. “Escrevemos o que vem a mente, sem mais.” É isso. Coloca qualquer coisa no bilhete que ele vai entender. Escreve ai. Coloca qualquer coisa, enrola, ipsum loren. Coloca qualquer coisa ai.

cropped-6a0120a58872a6970b0120a63324be970c-800wi.jpg

Essa imagem me lembra um pouco A Escolinha do Prof. Raimundo, todos aqueles personagens, aquela fauna diversa de cada um com sua expressão, com seu papel, atores, tendo que dar uma interpretação, colocar-se a atuar, exercer as características, as marcas. O autor, pelo que li de sua história, era um pintor dado ao caricaturismo, por isso a veia humoristica da pintura. Lembra o Senado também, fingido, palhaço.

Meeting of thirty-five heads of expression, Honoré Daumier.

zaza – versão definitiva 1.0.0

Entre o A e o Z
eu tenho a beleza, o demonio, o grandioso
e o cometa
grande cometa que embeleza o demonio
Do Z
o um, dois, três, milhão, bilhão, googolplex,
tenho eu, tu, ele, nós, vós, eles
eu tenho tudo e nada
tu tens o você
e você tem tu,
até o A

Entre Z
eu tenho a benevolencia, a maldade,
o trovão que brilha sob nossas cabeças,
do H eu tenho o homossexual, o hematopoietico, o humor
– que poderiam ser o omossexual, o ematopoietico, o umor, todos
dentro de suas possibilidades –
O X que vai do S ao CH, no meio, fim e inicio
ÇÇÇÇÇÇÇÇSSSSSSS
O XXXXXXXXXX VEZES 10
CHICARÁ SECSO CHAMPÚ ANECSO
AUSSILIAR O PROSSIMO É O MASSIMO
EZECUTO O EZAME EZEMPLAR SEM EZAJEIRO
y el xokallo de la kaskavel k serpentea y c sacude ÇSÇSÇSÇSÇS
Y, de janki, o jang y u jin
Y o A

a PEOSIA é um game de ajedrez, extrathegics,
onde cada pieza iguala o tono de kda palabra
peones, cavalos, bishops and towers
melopeia, fenopeia, logopeia, ideia,
ÉIAAAAAAAAA!
Rei e Rainha, Ritmo e Disritmia,
cada movimento é o desenrolar de um verso
reverso faço o en passant e mato a rima
faço o roque e projeto meus estribilhos
e finalizo: xeque mate!
¡Dado ao poema quando se dá por acabado!””””

Entre o ZA – ZA! – eu vou e volto e enrolo
a língua dando voltas nas palavras
O universo cabe na minha boca
mas extrapola essa boquinha miuda
atrapalhada com seus dentes
afogada na saliva;
nessa escuridão toda, eu tateio com a pontinha
as palavras, eu escarro com a garganta
com o esofago, com o pulmao, com o corpo todo,
vem, vem, vem
é um assopro, um arroubo,
descobrindo cada vez mais
o que elas me possibilitam
Não sei onde ir, para onde vou, se paro, prossigo

)Palabrotas que brotam num hipocampo espacial(
Mando elas às favas, mando elas de primeira,
dando um mortal carpado da ponta dos lábios
ao mar dos signos, simbolos, significantes e significados
A língua que bate e rebate e bola e rebola
as papas, as dobras, sem freios, nem nervos
– a língua que quer dizer com todas as letras
as palavras que nela estão mergulhadas
presas e amarradas por correntes e amarras
que a impedem
de vibRRRRaяяяяя
de sopRRRRRaяяяяя
de dizeRRRRRR
de falaяяяяя

A língua, a linguagem
A langue e a parole
OGRITO-OBERRO-OUIVUUUUUUU
¿ouviu
a uvula, sinetinha trimtrimtrim
as irmãs amigas : a amigdala, a goela e a garganta
tarantula no pescoço
que quando abre suas pernas
espalha seu corpo e atinge
POW!
Mentes e escopos
adentrado pelos profundos labirintos
auriculares para
pegar em cheio
BANG!
Os cerebros e cerebelos
com suas mensagens, sua comunicação
o que quer dizer e o que não diz e o que o coração não sente
os olhos não veem as maos não tocam as bocas não beijam
corpos que se mantem distantes, deslocados,
cada um d&para o seu la/do

ZZZZZZZZZZZZZ
eu durmo
AAAAAAAAAAA
eu acordo
ZZZZZZZZZZZZ
mosquito
AAAAAAAAAAAAA
coceira que não para
ZZZZZZZZZZigue
ZZZZZZZZZZague
AAAAAAAAA
cai
AAAAAAAAAAAAA
perdi
AAAAAAAAZZZZZZZZ
ul
ZZZZZZZZZZZZAAAAAA
p marreco!
AAAAAAAAAAAAAAAA
montanha ruzzaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
a naja que se arma para o bote!

AZ:ZA PARA SAIR DAQUI
ZA:ZA PARA SAIR DE LÁ

Do Z ao A, isso no meu alfabeto
eu nem sei onde posso ir,
mutável, mutante
, transtornavel, transtornante
uia!
Vivo como um coração pulsante
batendo mais que a bateria da Portela
dentro desse conjunto natural
de 25, 27, sei lá quantas – para mim, infinitas
combinações descobinadas
k0d1g05 1nt311g1v3i5
pdraoes decosenoxs
tudo vale vale tudo
de frente para trás
para ao lados, para fora, para dentro
espaçosas como sofá de 3 lugares
desconfortáveis como a mentira
trabuco como o elefante na sala de estar
geringonçosas tal o javanes
o japones
e o juridiques

BIBIGRRRRCOCORICOACHIMCLAPBURP
PUMPPOWPLAFPLOFTPLIMPLIM
NHACNHOCNHOMNHEC
TICTACTICTACTICTACTICTACTICTAC
TRRRRRRRRRIMMMMMMMM
DING DONG POP
BANG BANG PSIU
KNOCK KNOCK
QUEM É?

Do Z………..A, onde isso vai acabar?
Eu não estou gargarejando grego,
cirilico,
persa,
thai
eu sou apenas um rapaz latino
que, com minhas letras – essas coisas aqui,
fajutas entre tantas outras,
acha que é a ultima bolacha do UNICODE
meninão poliglota
penso que dou a volta ao mundo e o mundo não me dá voltas
(- AHAM!)
Que entendo tudo, que sou globalizado,
mas não compreendo um hangul, uma hiragana,
uma farsa perante o farsi,
sem esperança ante o esperanto,
xô tenta falar xhosa…
….
….
…….
Xiiiii…! (quietinho, quietinho…)
uso o tradutor enquanto me há luz,
sou um tratante quando me falta jesus,
que não vale nada quando me perguntam
quem é que vai te salvar agora em binário?
– otário!
Do A…….Z, o que eu sou fazer?
DOA a quem DOEz

A E I O U
BCD FGH JKLMN PQRST VXYWZ
NASAISOCLUSIVASFRICATIVASAPROXIMANTES
AFRICADASVIBRANTESMULTIPLASESIMPLES
FRICATIVASLATERAISAPROXIMANTESLATERAIS
VIBRANTESISMPLESLATERAISLABIAL
BILABIALLABIODENTALDENTALALVEOLARPALATO
ALVEOLARRETROFLEXAPALATAL
VELARUVULARFARINGALEPIGLOTALGLOTAL
BRAVOCHARLIEECHOKILOLIMA
NOVEMBERPAPAOSCARALPHAZULU
WHISKY, DUPLO, COM GELO PARA MIM
E SE EU NÃO TENHO BOCA
NÃO TENHO DEDOS
NAO TENHO NADA
AINDA TENHO PENSAMENTOS?
COMO FALAR A LINGUA DOS ANJOS
A LINGUA DOS DEMONIOS
A LINGUA MORTA
A LINGUA VIVA PERMITE QUE EU VIVA
FALO, LOGO VIVO
MUDO, LOGO REVIVO
FALO SOU UM DESASTRE
MUDO SOU UM POETA
MUDO QUANDO FALO
FALO QUANDO MUDO
FALOMUDOMUDOFALO
FMAUDLOO
.
.
.
.
A VONTADE DA PALAVRA
A PALAVRA DÁ VONTADE
DE FALAR
SEM PARAR
ATÉ A VOZ
FALHAR
E TER QUE PEDIR:
SENHOR, DÊ VOZ AOS QUE PRECISAM
SENHORA, DÊ FALA AOS QUE NECESSITAM
SENHORES E SENHORAS
PAREM DE FALAR E ESCUTEM
ESCUTEM
escutem
escut…



ME DEEM O SILÊNCIO!!!!1




A VOZ DO CORAÇÃO, DA RAZÃO – DOS QUE AMAM, DOS QUE PENSAMENTOS

A VOZ DOS FAMINTOS – AQUELA QUE CONTRAPÕE OS SACIADOS

A VOZ DOS SEM VOZ – MARGINALIZADOS, HOSTILIZADOS, RENEGADOS

A VOZ DO VORTEX
…………
QUE VEM
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
VVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVV
NA CURVA DO HORIZONTE
ZZZZZZZZOOOOOOOOOOOOOOOOOOVVVVVVVVVV
E PASSA BEM DIANTE
DE NOSSOS OLHOS
DEBAIXO DE NOSSOS NARIZES
DE UMA BOCA QUE NAO PRECISA FALAR
PARA DIZER
SÓ PRECISO DE UM CORPO
AS VEZES NEM ISSO
DE UM MURO, DE MEDITAÇÃO, DE MEDIUNICIDADE
AS VEZES TUDO QUE EU QUERO
É NAO TER QUE FALAR
NEM ESCREVER
PARA NAO ENTREGAR
O QUE NAO QUERO DIZER
NÃO É NÃO
X

.

EASVEZESQUERODECIRTODOTHATSOMETHINGGOOUTCOMMUCHASPALABRASQUEPODERIAMSERINSOMEMANYLANGUAGESPEROEUNAOSEISPEAKTODASELLASBUTEULIKEDTOHABLARTODASPEROTHISISAPENASUNAPORCENTAGEMDOQUEICANSPEAKTEMSOMUCHCOSASPORALLIPORALLAQUEEUNÃOKNOWWHEREITSGONNAPARARAYCARAMBAHOLYMACARRONIMAMAMIA!

TORRE DE BABEL
FALTA PAPEL
PARA ESCREVER
TUDO O QUE ESSE POVO
QUER DIZER
PALIMPSESTAR É O JEITO
(MAS A MEMÓRIA)
HHHHHHH A MEMÓRIA!
QUEM DERÁ EU JÁ NASCESSE SABENDO
IA ME EVITAR CADA ROLO
MAS ATÉ O DIA, AINDA EM NOITES
EU ME BOTO E ENTRO EM CADA UMA
FALO PELOS COTOVELOS
DIGO O DITO PELO NÃO DITO
PARA ME EXPLICAR
E NÃO DAR CHANCE AO AZAR
– ENTRETANTO SE ESSE ME PEGA –
ENTRO EM CADA FURADA, EM CADA CANO
E SE POR AZAR O AZAR ME PEGA
BABAU BABAU JÁ ERA
VAI TER QUE ME CONTAR TIM TIM POR TIM TIM
SEJA POR UM CELULAR DA VIVO OU O ZAP DA TIM
O QUE VOCE QUIS DIZER QUANDO ME DISSE
ASSIM
O QUE VOCE QUIS FALAR QUANDO ABRIU A BOCAAAAAA :O
E FICOU
sem palavras…


E do tiro da minha cabeça sairá confetes, serpentinas e carnaval
Eu não tiro da minha cabeça que ninguém me tira que maravilha será o dia
Que eu atirar minha cabeça daqui para nenhum lugar, deixar, deixar,
Um balaço, uma balada em sete tempos, três compassos, sem drinks inclusos,
Esvaziar o espaço e dar vazão ao sem noção, ao impensável,
Imagina o estrago, imagina

Atirei meu corpo no leito de um rio de flores e matinhos
A terra passa por meus dedos e eu nem percebo por onde vou,
A terra passa e nem percebo o que deixo,
Já não tenho cabeça para isso, ela ficou lá atrás, lá,
No meio de um monte de amarelas, laranjas e violetas,
Deixei lá para quem tenha perdido a cabeça encontrar uma que lhe sirva, que seja

E o coração eu levo desenhado numa folha de papel; é o que deu pra fazer
Eu nem me lembrava mais como ele era, você é que cochichou no meu ouvido
Que a coisa era brilhante tal a ideia, e não aceita palpites da razão
Eu risquei e guardei no bolso do meu peito
A porta, abri, os olhos, fechei, e sai.

zaza – versão beta 6.6.6

Entre o A e o Z
eu tenho a beleza, o demonio, o grandioso
e o cometa
grande cometa que embeleza o demonio
Do Z,
o um, dois, três, milhão, bilhão, quinquilhatão,
tenho eu, tu, ele, nós, vós, eles
eu tenho tudo e nada
tu tens o você
e o você tem tu,
até o A

&ntre A
eu tenho a benevolencia, a maldade,
o sol que brilha sob nossas cabeças
do H eu tenho o homossexual, o hematopoietico, a humor,
– que poderiam ser o omossexual, o ematopoeitico, o umor, todos
dentro das suas possibilidades –
O X que vai do S ao CH, no inicio, meio e fim
ÇÇÇÇÇÇÇSSSSSSS
O XXXXXXXXXX VEZES 10
CHICARÁ SECSO CHAMPÚ ANECSO
AUSSILIAR O PROSSIMO É O MASSIMO
EZECUTO O EZAME EZEMPLAR SEM EZAJEIRO
y o chocalho da cascavel serpenteia e sacode ÇSÇSÇSÇSÇS
Y, yankee, o yang e o yin
Entre Z

a poesia é um jogo de xadrez, estratégico,
onde cada peça iguala o tom de cada palavra,
peões, cavalos, bispos, torres
melopeia, fenopeia, logopeia, ideia
rei e rainha, ritmo e disritmia,
cada movimento é o desenrolar de um verso
reverso faço o en passant e mato a rima
faço o roque e protejo meus estribilhos
e finalizo: xeque mate!
dado quando o poema se dá por acabado

Entre o ZA – ZA!(pode entrar!) – eu vou e volto e enrolo
o universo cabe na minha boca
mas extrapola essa boquinha miuda
atrapalhada com seus dentes
afogada na saliva;
mas nessa escuridão toda, eu teteio com a lingua
as palavras, eu escarro com a garganta,
com o esofago, o pulmão, o corpo todo,
vem, vem, vem
é um assopro, um arroubo,
descobrindo cada vez mais
as decobertas que ela me possibilita
Não sei onde ir, para onde vou, se paro, sigo
e dou voltas nas palavras
Mando elas às favas, mando elas de primeiras,
dando um mortal carpado da ponta da lingua
ao mar dos signos, simbolos, significantes e significados
A lingua que bate e rebate bola e rebola
se debate entre os dentes para que a soltem
as papas, as dobras
o RRRRRRRRRRR
uma avalanche doravante de dobraduras
AVALANCHE LINGUAL QUE VEM CARREGANDO TUDO
CORRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRE
oRRRatoRRRoeuaRRRoupadoRRReideRRRRomaeaRRRainhaRRRaivosaRRRasgouoRRResto
a lingua que roça, rola, enrosca e treme
TREME
E
CHACOALHA!
a lingua que quer dizer com todas as letras
as palavras que nela estão presas
por correntes e amarras
que a impedem de vibrar
de soprar
de dizer
de falar
A lingua, a linguagem
A langue e a parole
OGRITO-OBERRO-OUIVUUUUUUU
?ouviu?
a uvula, sinetinha trimtrimtrim
a amigdala, a goela, a garganta
tarantula no pescoço
que quando abre suas pernas
espalha seu corpo e atinge
mentes e escopos
adentrando pelos profundos labirintos
auriculares para atingir em cheio
BANG! POW!
os cerebros e cerebelos
com suas mensagens, sua comunicação
o que quer dizer e o que nao diz e o que o coração não sente
os olhos nao veem as mãos não tocam as bocas nao se beijam
o corpos que se mantêm distantes, deslocados,

ZZZZZZZZ
eu durmo
AAAAAAA
eu acordo
ZZZZZZZ
mosquito
AAAAAA
coceira que não para
ZZZZZZZ
zigue
ZZZZZZZZ
zague
AAAAAAA
cai
AAAAAAA
perdi
AAAAAAZZZZZZZ
ul
ZZZZZZZZAAAAAA
p marreco!
AAAAAAAAAAAAAAAAAA
montanha russaaaaaaaaaaaaaaa
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
a naja que se arma para o bote!

A Z : Z A
ASAS PARA SAIR DAQUI
ZAZA PARA SAIR DE LÁ
Z A : A Z

Do A ao Z, isso no meu alfabeto,
eu nem sei onde eu posso ir,
o alfabeto, a lingua
é mutante, mutavel
viva como um coração pulsante
batendo mais que bateria de escola de samba
dentro desse conjunto natural
de 25, 26, 27 letras – pra mim, infinitas,
combinações descombinadas
o G que vira J o J que vira o G
o IIIIInigualavel H
silencioso e sonoro
WWWMMM
altos e baixos
pra cima e pra baixo
e
wira wira wira
e
mira mira mira
e
wira wira wira
ARIM ARIW ARIM ARIW
PALIDRONOMONES
O NOME QUE VAI E VOLTA
!VORTEQUISÇSADO!
SOCORRO, SUBI NUM ONIBUS EM MARRAKESH
PRA LÁ DE BAGDA, BANGALADESH
PRA LÁ DA BARRA DA LAGOA
MAIS PRA LÁ DO QUE PRA CÁ
…quero ver traduzir – traduzir, rárárá, faz me rir, traidores! – isso tudo, vixe!, beliche, triliche, boliche, trapiche, cada coisa que eu me meto, me arranjo, me entremeto, entrometo, meto o dedo, mando e desmando, desmancho e retomo, monto e desmonto, fico tonto, paro, olhos pros lados, atravesso a rua, dou de cara com a careta daquele que não entende nada e acha que eu to inventando moda, nossa senhora, isso daqui já fazia antes da roda ir pra frente, achando que de diferente só o diferencial para fazer a curva e… WOW! UAU!
AU-AU-UA-UA
codigos inteligiveis
padrões desconexos
tudo vale vale tudo
de tras pra frente
ARIV ARIV ARIV ARIV
FORA DA MIRA!
para os l a d o s
pelo mapa da mina
para f or a
invertendo as horas
para dentro
espaçosas como sofa 3 lugares
desconfortáveis como a mentira
trabuco como o elefante
gerigonçosas tal o javanes
o japones
o juridiques

BIBIGRRRRCOCORICOATCHIMCLAPBURP
PUMPOWPLAFPLOFTPLIMPLIM
NHACNHOCNHOMNHEC
TICTACTICTACTICTACTICTAC
TRRRRRRRRRRRRRIIIIIIIIIIMMMMMMMMMMMMM
DING DONG POP
BANG BANG PSIU
KNOCK KNOCK
QUEM É?
ACHOU!

do Z …………. A, onde isso vai acabar?
eu não estou falando grego,
cirilico,
arabe,
thai
eu sou apenas um rapaz latino
que, com minhas letras aqui,
fajutas entre tantas outras,
acha que é a ultima bolacha do pacote,
meninão poliglota
penso dou a volta ao mundo e o mundo não me dá voltas
entendo tudo, sou globalizado,
civilizado, antenado, descolado, do babado,
acho que sei tudo, saibo tudo, to por dentro de tudo
que vão me entender aqui, na china, na conchichina,
mas eu, euzinho, yo, i and i,
não entendo um hangul, uma hiragana,
uma farsa perante o farsi,
sem esperança ante o esperanto
xô tenta fala xhosa…

….
…..
xiiiiii….
shi!
meu inglês é pra inglês ver e morrer de vergonha
gargarejo grego que gaguejo
e eu
uso o tradutor enquanto me há luz,
uso o corretor automático quando me falta
o intercâmbio de tentativas imanuais – existe?
as tentativas que não são permitidas
academica-(mente, pode tudo)
sou um tratante quando me falta jesus,
que não vale nada quando me perguntam
qual é seu deus em binário
– otário

Do A…..Z, o que eu vou fazer?
o acento eu cedo amanha cedo para os mais velhos
que ainda precisam que eu pontue tudo
para tudo todo mundo entender
o assento eu cedo aos mais novos
para fazer o que bem entender
dÔÀ Á qüêm Doê

A       E       I            O          U
BCD FGH JKLMN PQRST VXYZ
NASAISOCLUSIVASFRICATIVASAPROXIMANTES
AFRICADASVIBRANTESMULTIPLASESIMPLES
FRICATIVASLATERAISAPROXIMANTESLATERAIS
VIBRANTESISMPLESLATERAISLABIAL
BILABIALLABIODENTALDENTALALVEOLARPALATO
ALVEOLARRETROFLEXAPALATAL
VELARUVULARFARINGALEPIGLOTALGLOTAL
BRAVOCHARLIEECHOKILOLIMA
NOVEMBERPAPAOSCARALPHAZULU
WHISKY, DUPLO, COM GELO PARA MIM
E SE EU NÃO TENHO BOCA
NÃO TENHO SONS
NÃO TENHO DEDOS
NÃO TENHO SONHOS
NAO TENHO MEDOS
NAO TENHO NADA
AINDA TENHO PENSAMENTOS?
(ainda tenho tormentos?)
COMO FALAR A LINGUA DOS ANJOS
A LINGUA DOS DEMONIOS
A LINGUA MORTA
A LINGUA VIVA PERMITE QUE EU VIVA
FALO, LOGO VIVO
MUDO, LOGO REVIVO
FALO SOU UM DESASTRE
MUDO SOU UM POETA
MUDO QUANDO FALO
FALO QUANDO MUDO
FALOMUDOMUDOFALO
FMAUDLOO
.
.
.
.
A VONTADE DA PALAVRA
A PALAVRA DÁ VONTADE
DE FALAR
SEM PARAR
ATÉ A VOZ
FALHAR
SENHOR, DÊ VOZ AOS QUE PRECISAM
SENHORA, DÊ FALA AOS QUE NECESSITAM
SENHORES E SENHORAS
PAREM DE FALAR E ESCUTEM, ESCUTEM, escutem, escut…







ME DEEM O SILENCIO!!!!



A VOZ DO CORAÇÃO, DA RAZÃO – DOS QUE AMAM, DOS QUE PENSAM

A VOZ DOS FAMINTOS – AQUELA QUE CONTRAPÕE OS SACIADOS

A VOZ DOS SEM VOZ – MARGINALIZADOS, HOSTILIZADOS, REJEITADOS

A VOZ DO VORTEX
……..
QUE VEM
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
OOOOOOOOOOOOO
VVVVVVVVVVVVVVVVVVVVV
NA CURVA DO HORIZONTE
ZOOOOOOOOVVVVVVVVVVV
VVVVVVVVVVVVVVVIBRAÇÕESOESOESOESOESO
ÕÕÕÕÕÕÕÕÕÕÕÕ
RASTEJANDO ENTRE AS MEIAS PALAVRAS
NAS ENTRELINHAS DESALINHADAS
POR ONDE DEUS TENTA DAR VIDA
PARA NOSSAS LINGUAS
SIBILANTES MIRABOLANTES
NA CURVA DO VORTEX
QUE PASSA BEM DIANTE
DE NOSSOS OLHOS
OUVIDOS
DEBAIXO DE NOSSO NARIZ
DE UMA BOCA QUE NAO PRECISA FALAR
PARA DIZER
SÓ PRECISO DE UM CORPO
AS VEZES NEM ISSO
DE UM MURO, DE MEDITAÇÃO, DE MEDIUNICIDADE
AS VEZES TUDO QUE EU QUERO
É NAO TER QUE FALAR
NEM ESCREVER
PARA NÃO ENTREGAR
O QUE NAO QUERO DIZER
NAO É NAO
X
.

EASVEZESQUERODECIRTODOTHATSOMETHINGGOOUTCOMMUCHASPALABRASQUEPODERIAMSERINSOMEMANYLANGUAGESPEROEUNAOSEISPEAKTODASELLASBUTEULIKEDTOHABLARTODASPEROTHISISAPENASUNAPORCENTAGEMDOQUEICANSPEAKTEMSOMUCHCOSASPORALLIPORALLAQUEEUNÃOKNOWWHEREITSGONNAPARARAYCARAMBAHOLYMACARRONIMAMAMIA!

TORRE DE BABEL
FALTA PAPEL
PARA ESCREVER
TUDO O QUE ESSE POVO
QUER DIZER
MAS A MEMÓRIA
AHHHH A MEMÓRIA
EU NÃO SEI TUDO, PODERIA DIZER MUITO
QUEM DERÁ EU JÁ NASCESSE SABENDO
FALAR
IA ME EVITAR CADA ROLO
QUE EU DEVERIA ME CALAR: !
MAS
ATÉ HOJE
AINDA HOJE EM DIA
EU ME ENROLO E ENTRO EM CADA UM
ENROLADO COMO O RRRRRR
AVALANCHE LINGUAL
FALO PELOS COTOVELOS
BLABLABLAALBALBALB
DIGO O DITO PELO NÃO DITO
D-I-T-A-D-O-&-S-O-L-E-T-R-A-D-O
PRA ME EXPLICAR
É NAO DAR CHANCE AO AZAR
E SE O AZAR ME PEGA
BABAU BABAU JÁ ERA
VAI TER QUE ME CONTAR TIM TIM POR TIM TIM
O QUE VOCE QUIS DIZER QUANDO DISSE
ASSIM
QUANDO DISSE NADA COM NADA
E FICOU NADANDO NESSA SALADA
BOIANDO PERDIDO DE SOPA DE LETRINHAS
O QUE VOCE QUIS FALAR QUANDO ABRIU A BOCAAAAAAA
E FICOU
sem palavras….